r e a d e r

Acompanhe meus comentários através do Reader

27 novembro 2006

PDA / Smartphone em 2007

Faz um bom tempo que venho estudando a compra de um Pocket. Tudo começo com o Palm III, que conheci na Fenasoft de 1998. De lá pra cá passaram alguns verões e a vontade continua a mesma! Mas questões como a utilizade x dinheiro sempre brecaram esse impulso, e assim fui.


Por gostar desses pequenos notáveis conheci um dos melhores grupos do Yahoo, o Mundo sem Fio. Daquele dia em diante passei a compartilhar esse gosto através de e-mails com os mais de 1000 associados - 1441 associados atualmente - da lista e conheci pessoas incríveis, como a Bia.

Nessa lista os amantes da tecnologia (e alguns tecno-tarados como o Sérgio Mr. Dart) costumam acompanhar as tendências do mercado mundial bem de perto. De uns anos para cá, os aparelhos que desfilaram pelas passarelas digitais foram os mais variados, passando pelo Palm T3, Axim x30H, Palm 650, Axim X50v, HP 4700, Loox 720, Axim x51v e as novas vedetes, como o Atom e os Qteks (9000 e S200). No último boom do mercado, a preferência foi dos super-processados com tela VGA (como x51v, Loox 720 e HP 4700) para os modelos híbridos de PDA com celular, os Pocket Phone Edition, e é esse o ponto desse tópico.

Ponho novamente no papel as minhas necessidades versus o investimento.

Algumas das minhas necessidades
  • Digitar textos com o auxílio de um teclado Bluetooth
  • Consulta e edição de arquivos .DOC e .XLS
  • Gravador de voz
  • Acessar a Internet
  • Agenda de contatos e de compromissos
  • Ler e responder e-mails, dando preferência aos aparelhos que possam me manter conectado 24hs
  • Ler textos
  • Ouvir MP3
  • Ver vídeos

A pergunta é: compensa investir num aparelho novo, como o S200, pagando na casa dos R$1.600,00, ou é melhor aproveitar e pegar um x51v ou L720, pesquisando encontro um ainda em garantia, por cerca de R$900,00. Alinho abaixo alguns dos pontos que estou pesando:

Pró-S200
  • Acesso a Internet pelo EDGE, pois ele é GSM! Atualmente um PC não é nada pra mim sem o acesso a Net. O tempo em que alguns programas e o pacote Office eram tudo que eu precisava passou faz tempo (dizendo isso me vem a cabeça quantas vezes eu posso escrever tempo no mesmo parágrafo, e quanto tempo isso levaria! Ja foram 4 vezes) e eu creio que em breve todas as operadoras farão ofertas viáveis de pacotes de dados, popularizando esse nicho e preparando para o advento Wimax.
  • Autonomia da bateria. O S200 tem uma autonomia melhor que o x51v (inclusive a bateria do Dell foi uma das maiores reclamações que li dos seus usuários) pois tem uma 100mAh de bateria a mais (1200mAh) e 424Mhz a menos de processador para consumir essa bateria (Texas Instruments OMAP850 200 MHz).
  • Tamanho. O S200 é menor (108x59x18mm versus 119x73x16,9mm) e mais leve (150g versus 175gr) que o Axim. Pode parecer pouca diferença, mas cada centímetro conta quando esperamos carregar o aparelho sempre a tira-colo. Ter um aparelho desses restrito a mesa do escritório por ser incômodo de carregar na roupa social é
Pró-x51v
  • Tela. A tela do Axim é de 3,7'' com resolução VGA, contra 2,8'' do Qtek. Como um dos meus objetivos é usar o PDA na companhia de um teclado Bluetooth, a diferença da tela facilitaria.
  • Não estar vinculado ao celular. No corre-corre de São Paulo, usar um aparelho como o S200 na rua ou no transporte público não é prático. Lembro bem quando o Mr. Dart veio para um Encontro Sem Fio na cidade e trocou seu inseparável Treo 650 por um mini-celular da Panasonic. Mesmo com o fone o aparelho ainda faz volume e chama atenção! Mesmo tendo a facilidade do GSM no Qtek eu continuaria com um aparelho celular, deixando o Edge do PDA apenas para acesso à Internet.
  • Processador. O processador pode exigir mais da bateria, mas o Intel® XScaleTM PXA270 de 624MHz faz diferença. O ponto é: quanta diferença ele faz?
Esse post está como rascunho desde 9/novembro e começou como uma resposta do podcast nº 18 da Bia Kunze. Não vou deixar ele ficar mais tempo parado por aqui, mesmo estando mal escrito e incompleto (bem, ninguém me acusou de ser um bom escritor, por isso não tenho fama para arriscar! rs).

Como nota, vou deixar outros concorrentes que vem bem próximo da chegada em minha busca pelo PDA perdido, ou "ideal": os Smartphones! Aqui e aqui você encontra reviews do Nokia E62 (Symbyan 9) um aparelho que presa pela portabilidade e tem uma boa autonomia de bateria; aqui um pouco do Samsung Blackjack; e aqui um review do UOL Tecnologia, mostrando alguns dos aparelhos que sitei (pena que o Moto Q é CDMA, não acha?).

3 comentários:

Bia Kunze disse...

"Ler e responder e-mails, dando preferência aos aparelhos que possam me manter conectado 24hs"

O que é mais importante? Conectividade? Então um PDA comum não cumpre sua necessidade. Tente um PDAphone. Que tal um Symbian, tipo o E62? Logo vem aí o E61 tb, que tem wi-fi...

ROGÉRIO ANJO disse...

Bia,
Se não fosse a questão do perigo de ter um PDA Phone em Sampa certamente eu apelaria pra isso. Mas em primeiro momento me contento com um aparelho com Wi-fi e bluetooth! Se tiver GSM é capaz que, ano que vem, eu vanha a comprar um novo chip só para usar com dados.
Usar o x51v com um celular com EDGE, por exemplo, não teria praticamente o mesmo efeito de um S200 com chip GSM, fora ter te carregar mais um aparelho? O Bluetoot tem limitação de 721Kbps, se não me engano, não seria gargalo.
Smartphone teria de ser E61, pois o Wi-fi é fundamental. Só penso que pelo custo (deve chegar custando mais que R$2k) compensa mais pegar um S200 com tela maior. Não é?
:)

Roberta disse...

Oi amor, eu viajei em muita coisa do que você disse, só tô aqui pra te apoiar na sua decisão!!!
Beijo!